terça-feira, 23 de setembro de 2014

CNT/MDA: Marina derrete. Dilma e Aécio avançam

 
A presidente Dilma Rousseff (PT) abriu 8,6 pontos de vantagem sobre Marina Silva no primeiro turno das eleições, revela pesquisa do instituto MDA. A candidata à reeleição pelo PT tem 36% das intenções de voto, contra 27,4% da adversária do PSB. O candidato do PSDB, Aécio Neves, manteve a linha de crescimento, subindo mais 2,9 pontos, com 17,6% das intenções de voto. Luciana Genro (PSol) pontuou 0,7%, Pastor Everaldo (PSC) aparece com 0,4% e os outros candidatos com 0,7%.

A mostra foi divulgada na manhã desta terça-feira 23 em Brasília pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Em uma das simulações de segundo turno, Dilma teria 42% das intenções de voto, empatando tecnicamente com Marina, que teria 41%. Entre Dilma e Aécio, a candidata do PT seria reeleita com 45,5%, e Aécio registaria 36,5%, segundo a pesquisa.

No último levantamento CNT/MDA, divulgado há duas semanas, Dilma tinha 38,1% das intenções de voto (queda de 2,1 pontos), contra 33,5% de Marina (queda de 6,1 pontos) e 14,7% de Aécio Neves (que cresceu 2,9 pontos). Na simulação de segundo turno, Dilma e Marina estavam tecnicamente empatadas, mas com Marina quase três pontos à frente: 45,5% contra 42,7%.

Na pesquisa espontânea - quando os entrevistadores não apresentam placas com os nomes dos candidatos - Dilma subiu de 30,9% para 31,4%, enquanto Marina caiu de 25,8% para 23%. Aécio Neves mostrou um forte crescimento de 4,3 pontos percentuais, chegando a 14,4%.

A pesquisa divulgada nesta terça-feira foi realizada entre os dias 20 e 21, com 2.002 entrevistados de 137 municípios brasileiros. A margem de erro do levantamento é de 2,2 pontos.
 
Fonte: Brasil 247

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Blog do Edgar Ribeiro denuncia prática de grilagem de terras por Edinho Lobão

Em matéria divulgada hoje (18/09) no blog do Edgar Ribeiro "Bomba! Bomba! A fome de Edinho Lobão por terras é grande...", o candidato da família Sarney, Edinho Lobão, mais conhecido como Edinho 30 é acusado de tomar terras de uma pessoa idosa e grilar terras da União.
 
O blogueiro Edgar apresenta documentos que comprovam a veracidade do crime praticado pelo então candidato a governador e relaciona várias áreas de domínio do mesmo, que segundo o blogueiro, consta nos registros de cartórios e no Patrimônio da União. Veja na íntegra a postagem:
 
CAPÍTULO II DA SÉRIE - BLOG TIRA AS MÁSCARAS DOS LOBOS – VEJA O INTERESSE DE LOBÃO FILHO NAS TERRAS ALHEIAS.

Lembra das terras tomadas do idoso, que agora pertence a Lobão Filho por esquemas na prefeitura e em cartório? (REVEJA...).

Pois bem, levantamentos feitos junto a cartório e ao Patrimônio da União, mostram que a maioria das terras de Edinho Lobão foram obtidas de forma irregular. Foram griladas.
 
 

Áreas da União, áreas verdes e áreas institucionais foram loteadas em esquemas dentro da prefeitura de São Luís e cartório. Numa cacetada só, a Rádio Difusa de Lobão Filho arrematou 208 lotes em hipotecas nunca pagas.


A fome de Lobão Filho por Terra é grande:
 
- 208 LOTES EM NOME DE RADIO E TV DIFURORA DO MA NÃO DECLARADOS À JUSTIÇA ELEITORAL.
- LOTES NO JARDIM SÃO CRISTÓVÃO, BAIRRO TIRIRICAL
- 2.290.500,00 M² DE TERRAS EM BACABEIRA-MA
- TERRENO COM 90.000,00 M2 NA CIDADE BARRA DO CORDA-MA
- TERRENO NO PINDORAMA SÃO LUIS – MA
- 1.524,68 M² DE TERRAS NO BAIRRO COHAFUMA
- 91.600,00 M2 DE TERRAS NO TIBIRI
- 58.677,42 M² DE TERRAS NO BAIRRO COHAFUMA
- 177.277,82 M2 DE AREA NO BAIRRO COHAFUMA
- 30.000,00 DE TERRENO NO MUNICIPIO DE BARREIRINHAS-MA
- 142.367,34 M² DE TERRAS NO BAIRRO COHAFUMA
- LOTE DO PROJETO DE COLONOZAÇÃO DE BARRA DO CORDA – MA
- LOTE DO PROJETO DE REGULARIZAÇÃO URBANA OLHO D' AGUA, SÃO LUIS –MA.
 - LOTE NA AV. PRESIDENTE MEDICE SÃO LUIS - MA
 
 
Terreno que estava na posse do idoso e tomado por Lobão Filho, pertence à União e é terreno de Marinha. No local, Lobão Filho construiu um mega edifício para ganhar de mão beijada milhões de reais.

É caso de polícia.

Portanto amig@s, vejam o nível que a oligarquia chegou e apresentou o que ela propõe de maior potencial político e administrativo para população eleger como governador e ela permanecer por mais 04 anos.
 
O pulso ainda pulsa e agoniza!!! 
 
 

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Vereador evangélico propõe confinar gays em uma ilha

Nogueira sugere confinamento
 de homossexuais por 50 anos
O vereador Sérgio Nogueira (foto), de Dourados (MS), defendeu nesta segunda-feira (15) no plenário da Câmara Municipal a confinação dos homossexuais em uma ilha por 50 anos. Ele é também pastor da Igreja Batista e organizador de encontros de lideranças evangélicas.

"Não podemos passar a ideia de que o anormal é normal”, disse o vereador do PSB, de acordo com a rádio 94FM Dourados.

“Bota as pessoas que assim pensam [os homossexuais] numa ilha por 50 anos e depois volta para ver; não vai ter mais ninguém.”

Nogueira ficou indignado com o convite para que comparecesse a palestras contra a homofobia organizadas pela Secretaria Municipal de Assistência Social.

"Perguntaria para qualquer vereador que, podendo ser adotado, optaria por uma família de homossexuais”, afirmou, acrescentando não ser homofóbico.

“Quero colocar a população para refletir”, afirmou. “Isso [homossexualidade] é contra os nossos princípios", afirmou. Ele sugeriu a união de forças entre evangélicos e católicos contra “a pratica do homossexualismo condenada nas escrituras sagradas”.

Dourados tem mais de 210 mil habitantes e fica a 235 km de Campo Grande, a capital do Estado.

O vereador criticou o governo federal por estar tentando desconstruir o “padrão normal” de família. “Isso vem rasgar nossa Constituição ao meio, dizer que família é qualquer coisa”, disse.


Fonte: Blog do Paulo Lopes

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Dilma e gays são chamados de "anticristo" por aliados de Marina

Material criminoso de campanha pró-Marina distribuído em periferias incita o ódio homofóbico e chama Dilma e homossexuais de "anticristo"

Aliados de Marina Silva no Rio de Janeiro, os candidatos Ezequiel Teixeira e Édino Fonseca produziram uma revista que está sendo distribuída a eleitores, em que a presidente Dilma Rousseff é acusada de ser o “anticristo”. Um dos motivos é o combate feito pelo governo federal à homofobia – tema que produziu a primeira crise na campanha de Marina Silva, depois que ela abandonou seus compromissos, ao ser pressionada pelo pastor Silas Malafaia.
 
Nesta semana, numa estratégia articulada com seus marqueteiros e meios de comunicação, Marina se colocou na condição de vítima e ensaiou um choro em razão de ataques que estaria sofrendo do PT e do ex-presidente Lula. Dilma respondeu afirmando que quem não quer ser criticado não pode ser presidente da República.
 
Na prática, os aliados de Marina partiram para agressões vis e rasteiras na reta final da campanha eleitoral. Leia, abaixo, texto postado pelo deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ) sobre o material criminoso que está sendo distribuído no Rio de Janeiro.
 
Assustador
 
Assustador! O esgoto eleitoreiro já começa a vazar na reta final de campanha. Na zona oeste do Rio de Janeiro, um exército de fiéis recrutados como voluntários por igrejas evangélicas fundamentalistas está distribuindo um material de campanha bizarro criminoso assinado pelas campanhas de Marina Silva para presidenta, Ezequiel Teixeira para deputado federal e Édino Fonseca para deputado estadual. São milhares de revistas de 24 páginas em cores acompanhadas de um DVD com mentiras acerca de LGBTs, estimulando o ódio e a violência contra estes, além de trazer deturpações sobre as pautas dos movimentos feministas e negro para prejudicar a candidatura da presidenta Dilma. Fonseca é quem se responsabiliza formalmente pelo material, assinando-o com seu CNPJ eleitoral: 20583168000184.
 
Para quem está duvidando dessa sujeira, ele pode ser baixado na íntegra aqui. É o mesmo material que usarei como prova para acionar a justiça eleitoral no intuito de que essa porcaria seja apreendida e seus responsáveis sancionados de acordo com a lei.
 
Na capa, a revista com Fonseca, Teixeira e Marina anuncia: “Veja os planos do anticristo: nova ordem mundial contra a família e a igreja” (a palavra “Veja” é escrita com a mesma tipografia usada pela revista da editora Abril), e depois enumera: “eutanásia, mercado do feto, prostituição de menores, carícias de homossexuais em lugares sagrados…”, etc.
 
O panfleto mistura um discurso religioso da época da Inquisição (com repetidas alusões ao “anticristo”) e uma linha argumentativa que lembra a propaganda nazista contra os judeus. No caso, contudo, em vez dos judeus, o “inimigo” apontado é composto por homossexuais, prostitutas, ateus, comunistas, “abortistas”, usuários de drogas e o governo Dilma. A partir dessa premissa, a publicação descreve uma conspiração satânica internacional para a criação de uma “nova ordem mundial” que pretende “se rebelar contra Deus” e “dominar a mente do povo com a legalização das drogas”, acusa o governo do PT de querer legalizar a eutanásia para “matar os mais velhos” e o aborto para provocar um “extermínio” e comercializar os órgãos dos fetos abortados.
 
O delírio é tal que a revista traz uma tabela de preços do “mercado do feto” e diz que a legalização do aborto provocará um aumento da pedofilia, porque as meninas estupradas serão obrigadas a abortar para esconder o crime.
 
Nas páginas seguintes, a revista ataca a regulamentação da prostituição, relacionando-a também, com extremo cinismo e má fé, à pedofilia (como se o abuso sexual de crianças pudesse ser equiparado à prostituição exercida por pessoas adultas); diz que a criminalização da homofobia permitirá que os gays pratiquem sexo dentro das igrejas; refere-se a gays, lésbicas e transexuais como doentes mentais; ataca com argumentos igualmente toscos a proposta de legalização da maconha e até diz que existe um plano do “anticristo” para dominar a água e os alimentos.
 
Quase todas as páginas da publicação são dedicadas a atacar meus projetos e os de outros parlamentares progressistas e comprometidos com os direitos humanos, embora não nos mencione expressamente. O principal alvo da publicação é o governo Dilma, que seria, de acordo com a publicação, o principal representante no Brasil da “rebelião mundial comandada por Satanás”.
 
A publicação faz uma relação direta entre o “plano do anticristo” e as eleições de 5 de outubro: para impedir a vitória do Demônio, os eleitores deveriam votar em Marina Silva para presidenta e em Teixeira e Fonseca para os parlamentos federal e estadual. Na última página, a publicação traz uma foto em cores dos três candidatos, com a logo da campanha de Marina destacada no centro.
A pergunta é: quem pagou por tudo isso?
 
Eu gostaria de saber se Marina Silva sabe que seu nome está sendo usado nessa campanha suja. Fonseca é candidato pelo PEN, uma legenda de aluguel de ultra-direita que faz parte da coligação de Aécio Neves, da mesma forma que o partido Solidariedade, formado por parlamentares que decidiram sair das legendas pelas quais se elegeram, entre eles Teixeira. Ambos fazem parte, também, da coligação estadual que apoia o governador Pezão, que por sua vez é do PMDB, aliado à presidenta Dilma, mas que também faz campanha por Aécio. Contudo, Fonseca e Teixeira fazem campanha por Marina — e juntos, apesar de suas candidaturas proporcionais não estarem coligadas.
 
Além de ser incompreensível e causar confusão a qualquer eleitor, essa esquizofrenia eleitoral também é ilegal, já que um candidato proporcional (ou seja, a deputado federal ou estadual) não pode citar em seus materiais de campanha o nome de um candidato majoritário (ou seja, presidente ou governador) que não seja o de seu partido ou coligação. Porém, para as gangues da velha política corrupta do nosso querido país, vale tudo.
 
Será que Marina, ou sua coordenação de campanha, concordaram com essa sujeira e “deixaram” que ela fosse feita porque, na reta final, tudo o que servir para somar votos é bem-vindo, mesmo que provenha do esgoto político?
 
Ou será que Fonseca e Teixeira estão usando o nome de Marina sem a anuência dela porque acham que a figura da candidata do PSB pode ser mais atraente para o eleitorado evangélico fundamentalista que pretendem conquistar que o do liberal Aécio?
 
Seja como for, Marina deveria se perguntar por que o nome dela é associado a esse discurso fascista. Será por que seu discurso, em vez de questionar, à esquerda, as falências do governo Dilma, como muitos dos seus eleitores progressistas de 2010 esperavam, é cada dia mais reacionário, aproximando-a da linha discursiva da revista Veja (que essa semana saiu em defesa dela), do Círculo Militar (que se declarou esperançoso com a sua candidatura), dos pastores que pregam discurso de ódio contra a população LGBT e dos setores mais conservadores da sociedade, que podem se sentir representados pela propaganda de Fonseca e Teixeira?
 
Marina deveria preparar um café, sentar no sofá e, com calma, refletir sobre o que está fazendo ou sobre o que estão fazendo com o nome dela.
 

domingo, 14 de setembro de 2014

Ah! Branco, dá um tempo! Carta aberta ao senhor Miguel Falabella.

 
Nosso Blog Conversa de Feira, apoiamos e assinamos a Carta aberta das Blogueiras Negras ao autor, ator e diretor Miguel Falabella sobre suas recentes declarações em relação a nova série que estreará na Rede Globo: “O Sexo e as Nêgas”. 
 
Vamos acompanhar o blog As Blogueiras Negras que estão com o projeto #AsNegaReal, uma websérie que visa discutir os episódios do seriado.
 
E você pode acessar a página no Facebook e curtir o Boicote Nacional contra a exibição na Rede Globo.
 
Em seguida a carta na íntegra:
 
Você me pergunta se vou dizer que você é racista, me responda você!
 
Racismo não é polêmica, muito menos rancor ou falta de humor. Mais que ninguém, que se pensa um defensor dos direitos de seus pares negros e portanto um aliado na luta contra o racismo, deveria saber disso. Deveria saber também que cogitar tal hipótese e ainda enumerar amigos negros para se defender, é viver num mundo tal de privilégio onde se pode rebater a crítica dizendo que as vozes de mulheres negras são apenas controvérsia, ou fazer um grande esforço para esconder o próprio racismo. Quem sabe os dois.
 
Ah! Branco, dá um tempo! Você diz que “dói” ver luta de seus colegas negros, menosprezados e invisibilizados por sua cor. No caso da mulher negra, tudo se agrava. Você certamente tem ciência das recentes e tristes notícias sobre Neuza Borges, uma das maiores atrizes que temos, mas que por seu lugar de mulher negra não encontra lugar na televisão brasileira. Vive na carne a falta da carne em seu prato porque a próxima novela não acontecerá tão cedo. Vai depender da “boa vontade” de alguém, não do seu talento.
 
Você me pergunta se o problema é o sexo ou “as nega”, querendo desacreditar nossas críticas fundamentadas não em pré-julgamento, mas em fatos veiculados na mídia. Notícias essas que agora dão conta que de repente a Globo, antes tão entusiasmada com seu projeto, parece que já não está tão feliz assim. Você argumenta que se trata de uma prosódia pura e simplesmente. Alega que o título da série veio de uma mulher negra. Aliás, me pergunto se essa mesma mulher recebeu os devidos créditos e bufunfa por sua colaboração já que foi descrita por você como nada mais que um estereótipo, alguém que não merece nome, muito menos sobrenome.
 
Não tem problema branco, vou enegrecer tudo novamente.
 
As negas, volto a explicar, não é uma questão de prosódia.
 
Tal expressão transforma o corpo da mulher negra em peça, como eram chamados os escravizados, a ser consumido por uma sociedade racista. Nos coloca no lugar de mercadoria de segunda mão que não receberá o mesmo tratamento da carne branca e delicada, aquela que não é “suas nêga”. A expressão é embuída não apenas de pensamento escravocrata, mas também de machismo, cujas consequências sentimos na pele por sermos mulheres negras.
Trata-se portanto de uma dupla violência que categoriza mulheres de acordo com sua cor de pele, qualidade que determinará qual o valor e o lugar que têm.
 
Ainda sobre o nome da série, temo que muitas pessoas não saibam a diferença entre um adjetivo racista e um adjetivo comum. Na Bahia, nego e nega tem conotações diferentes das que tem em Recife, por exemplo. E dependendo do uso da frase, do tom com que se fala, de quem recebe e de quem envia a mensagem, você ofende ou elogia. No entanto, a construção “não sou tuas nega” não permite outro significado possível que não o racismo num contexto hediondo de 350 anos de escravização. E se alguém perpetua adjetivo racista, que nome isso deve ter? Ah! Branco, me diga você!
 
Sua ideia, aos olhos poucos atentos ou interessados apenas em gerar lucro, pode até parecer de grande monta. Porém, está longe de gerar visibilidade ou dignidade. Aliás, exatamente o contrário. Como quase sempre acontece com literatura e dramaturgia feita por brancos sobre negros, nos trata como simples objeto de estudo, algo que pode ser manipulado e observado justamente como você faz, nos ensina a professora Lígia Fonseca Ferreira. Nada mais é que negrismo e não negritude, como tem insistido o escritor e jornalista Oswaldo de Camargo.
 
Sim, estou dizendo com todas as letras que quem deve escrever para o negro e pelo negro deve ser ele mesmo, não uma pessoa branca. Chame isso de racismo reverso se quiser. Para gente o nome disso é visibilidade, esta sim capaz de nos ter algum benefício, com poderes para mudar o modo como seremos retratadas na próxima novela, na próxima minissérie. Sem isso, nada mudará, seguiremos sendo uma sociedade estruturalmente racista e machista onde a mulher negra nada mais é que um estereótipo para racista se divertir ou entreter.
 
Uma sociedade em que nós, mulheres negras, não somos protagonistas nem mesmo num seriado a quem damos o nome. Sim, as notícias têm mudado, mas as primeiras davam conta de uma branca como a atriz principal. Ela que, atrás de um balcão de bar, vai nos observar como animais num zoológico, ela quem fala em nosso lugar. Nossa história, sofrimento e capacidade de discursar sobre nós mesmas são meros detalhes. A narradora da trama, nesse caso narrador, é alguém isento desse mesmo sofrimento. Não é bobagem, nem caretice, nem ditadura do politicamente correto como alguns vão afirmar. É critica e zelo por nossa memória e existência.
 
Você argumenta que “um programa que refletisse um pouco a dura vida daquelas pessoas, além de empregar e trazer para o protagonismo mais atores negros” seria desejável. E na verdade seria mesmo. Desde que escrito, produzido e protagonizado por negros. Não por alguém que nem se deu ao trabalho de creditar a mulher negra que deu o título à série. Esse detalhe é causa e ao mesmo tempo consequência de todos os outros: a fetichização de nossa sexualidade e corpos, a ênfase nos estereótipos, a violência simbólica que a série representa.
 
Como pretender que nos desumanizar é visibilidade? Desde quando nos tratar como a carne mais barata do mercado como canta Elza, a Soares, é ser aliado? Ah! Branco, dá um tempo! Suas palavras apenas enfatizaram suas intenções, a cada parágrafo tivemos a certeza de que nossas críticas são fundamentais e muito bem fundamentadas, por isso incomodam tanto. Seguiremos denunciando o racismo e o machismo daqueles que se fiam no privilégio para destilar veneno e cometer tais violências contra a mulher negra.
 
Isso não é sobre sexo. É sobre denunciar um sistema perverso que exclui as mulheres negras de todas as esferas e nos torna menos que humanas. Sistema esse que também incide sobre o homem negro, alvo primeiro e preferencial da violência policial e da hipersexualização do seu corpo: o “homem do pau grande” é resultado da brutal animalização do corpo negro, sempre pronto pro sexo. Onde está a crítica desse sistema na televisão brasileira? De certo não está em seu seriado, muito menos em sua fala.
 
Repudiamos suas palavras porque fomos estupradas nas senzalas e continuamos a ser na dramaturgia feita por brancos sobre nós através de imagens estereotipadas em seriados, novelas e minisséries. Esse é um dos mecanismos que a aliança entre o racismo usa para se perpetuar: hipersexualizando a mulher negra que se torna desprezível para outros papéis sociais. Você fala da mulata quente, gostosa, fogosa. Somos muito mais que isso. Precisamos ser mostradas como as mulheres do dia-a-dia, que trabalham, dançam, fazem festa e querem sexo sim, mas que não são apenas isso.
 
Não estamos aqui menosprezando nem dizendo que não somos camareiras, domésticas, cabeleireiras: também somos trabalhadoras domésticas, cuidadoras. Mas sobretudo, com as nossas conquistas e a nossa luta, galgamos lugares, posições: somos diretoras, bailarinas, advogadas, publicitárias, escritoras, professoras e médicas. Onde elas estão no seu seriado? Será que elas não moram em Cordovil? Será que elas não estão nas periferias? Duvido muito. NÃO aceitaremos mais ser caricaturas! Por isso a critica vai além do nome da série, o que por si só é deveras problemático.
 
Ah! Branco, dá um tempo! Nem queremos crer que você está se comparando e recorrendo a Spike Lee para credibilizar seu trabalho. Não, nos recusamos. E não é somente porque Spike Lee é preto, é porque não vemos nada, absolutamente nada de crítica racial em “Sexo e as Nega” como vemos em “Faça a coisa certa”. O gueto é paisagem, mas também é a vida, é a teia, é o sangue do autor que não está só observando e contando sua versão dos fatos: Spike Lee está no gueto, ele é o gueto. E não alguém que não é “as nega”, alguém que pretende que nosso único objetivo de vida é ter um parceiro sexual.
 
E por favor, respeite nossa memória e retire suas palavras ao nos chamar de capitães do mato. Não estamos perseguindo as atrizes negras desse seriado, muito menos as mulheres reais que são representadas pelas suas personagens. Quem conhece um pouquinho de história e dela faz um uso bem intencionado, sabe que existem outras versões além daquela em que fomos escravizados sem lutar, viemos sem resistência num navio negreiro. Não se faça de desentendido, quem criou capitães do mato não foram os próprios negros.
 
Acusar alguém de “se tornar capitão do mato” é algo muito mais complexo do que formular uma frase. É impossível que sejamos algozes de nós mesmos, isso é falácia. Retire sua fala e reflita sobre o que significa nosso boicote e critica que têm como alvo um modelo e um sistema historicamente racistas, em que nem o direito de falar, contar nossas próprias histórias e tecer criticas nós temos. Repito: isso não é uma caçada ao povo negro nem à mulher preta e pobre. É sobre o racismo enrustidamente manifesto, sem nem se sentir ou admitir.
 
Manifestamos profunda oposição a esse mundo, de quem bate e finge entender a dor daquele que apanha. Esse mundo onde racismo agrada, é piada pronta para gerar audiência e naturalizar o racismo. Estamos fartas do seu discurso, de programas que usam blackface, que transformam toda mulher negra em empregada doméstica ou mulata globeleza. Nossos corpos não são espaço para seu deleite, divertimento, lucro ou usufruto. Nós somos mulheres negras de pena e teclado, ciosas e autoras de nossos próprios enredos e objetivos de vida.
 
Ah! Branco, dá um tempo! Quem nos silencia é racista sim.
 

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Pesquisa: Dilma cresce mais, Marina cai e Aécio para!

 
O Ibope divulgou hoje (12) pesquisa sobre a corrida presidencial que mostra subida da presidenta Dilma Rousseff (PT), que tinha 37% e agora tem 39%, queda de Marina Silva, que tinha 33% e agora tem 31%, Aécio Neves (PSDB) com 15%, Pastor Everaldo (PSC) 1% das intenções de voto e os demais somados 1%, 8% branco/nulo e 5% não souberam ou não responderam.
 
No segundo turno há empate técnico entre Marina (despencou de 46% para 43%) e Dilma (subiu de 39% para 42%), já que a margem de erro é de 2 pontos. Contra Aécio Dilma vence fácil por 48% (subiu um ponto) a 33% (caiu um ponto).
 
A avaliação do governo Dilma subiu de 36% para 38% (ótima/boa), regular caiu de 37% para 33%, ruim/péssimo são 28% dos eleitores.
 
48% afirmaram que aprovam o governo Dilma e os que desaprovam são 46%.
 
O instituto Ibope Inteligência entrevistou 2.202 pessoas entre os dias 5 e 8 de setembro em 144 municípios, contratada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) e registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-00593/2014.
 

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Gustavo Castanon – Marina, a candidata da mudança

Por Gustavo Castañon(*)
Há um sentimento de mudança no ar. 12 anos de governo do PT desgastaram o partido na opinião pública. É natural. As contradições inevitáveis do exercício do poder, a relação com um congresso fisiológico, os interesses contrariados, os acordos inerentes à democracia, os escândalos. É mesmo surpreendente que chegue ao cabo desse período ainda como o partido de um quarto dos brasileiros e tendo o voto de metade deles.
Nesse cenário, surge a candidatura de Marina Silva, que encarna, sem sombra de dúvidas, a mudança, como provarei com os links abaixo. A começar pela mudança do cenário eleitoral. Depois de um suspeito desastre de avião (que alguns acreditam se tratar de um assassinato), Marina assumiu o lugar de Eduardo Campos como a candidata do PSB à presidência.
O compromisso de Marina com a mudança não é recente. Ele já se deixava sentir quando ela mudou de religião há poucos anos, abandonando o catolicismo de opção pelos pobres e abraçando o fundamentalismo da Assembleia de Deus, que tem entre seus quadros Silas Malafaia e Marcos Feliciano, e acredita que discursos inflamados e emissões vocais desordenadas são manifestações do próprio Espírito de Deus.
Depois Marina mais uma vez mudou quando saiu do PT por ter sido preterida na disputa interna do partido pela candidatura à presidência. Desde então ela iniciou um processo de mudança de crenças políticas que a tornou uma opção para os grandes meios de comunicação, os bancos e a classe média alta.
Primeiro mudou-se para o PV, ganhou apoio do Itaú, finalmente concorreu à presidência, perdeu, mas não desanimou. Tentou mudar o então partido assumindo-lhe o controle, mas como não conseguiu, mudou de novo e tentou criar a Rede. Também não conseguiu apoio suficiente para criar um novo partido,e então mudou-se, de novo, para o PSB. A ecologista aproveitou a mudança e mudou-se para um apartamento em São Paulo de um fazendeiro do DEM.
Num golpe de sorte, mudou de ideia na última hora e não embarcou com Eduardo no jato que o matou. Logo depois da tragédia, Marina mudou do papel de vice para o de viúva, declarando ter sido consolada da morte de Campos pela própria esposa dele. Com a má repercussão da declaração, ela mudou de postura e apareceu sorridente em seu velório posando para fotos ao lado de seu caixão.
E a mudança não parou mais. Mudou o CNPJ da campanha para não ser responsabilizada pelas irregularidades do jato fantasma de sua campanha nem indenizar as famílias atingidas pela tragédia. A pacifista mudou seu compromisso da “Rede” que proibia os candidatos pela legenda de receber doações de indústrias de agrotóxicos, de armas e de bebidas, e compôs chapa com o deputado federal Beto Albuquerque, político integrante da “bancada da bala”, financiada pela indústria bélica. Ele também é financiado por fabricantes de bebidas e agrotóxicos.
E mais mudança veio com um programa de governo que contrariava toda a sua história. Prometeu ao Brasil a volta da gestão econômica do PSDBMudou sua posição contrária à independência do Banco Central para garantir o apoio dos bancos brasileiros. Mais do que isso, prometeu mudar a legislação trabalhista promovendo a terceirização em massa, e prometeu acabar com a obrigatoriedade de função social de parte do crédito bancário, enterrando o crédito imobiliário. Mas isso não era mudança suficiente. Depois de quatro twittes ameaçadores de Silas Malafaia mudou a mudança do programa e se declarou contra o casamento gay.
Depois de um editorial do Globo, também mudou a sua posição sobre o pré-sal, que prometera abandonar, e depois, mudou a posição sobre a energia nuclear. Depois de uma vida de batalha contra os transgênicos, Marina, pressionada pelo agronegócio, também mudou e abandonou seus compromissos ecológicos.
Mudou também sobre a transparência política. O ministro Palocci caiu por não revelar os nomes das empresas que contrataram seus serviços antes do governo. Mas ela hoje, candidata, se nega a dizer a origem de 1.6 milhões de seus rendimentos, e declarou um patrimônio de somente 135 mil reais ao TSE. Uma senadora da República.
Finalmente, há três dias Marina mudou sua opinião sobre a tortura, que antes considerava crime imprescritível, e passou a ser contrária a revisão da lei de anistia. Ontem, ganhou o apoio do Clube Militar. Marina muda tanto que acabou por declarar seu programa de governo todo em processo de revisão. Isso é realmente novo na política. Ela é a primeira candidata da história do Brasil que descumpre seu programa de governo antes de chegar ao poder.
Por tudo isso, não restam dúvidas que Marina é a candidata da mudança. Ela muda sem parar. Essa é sua “Nova Política”, uma mudança nova a cada dia. Não é possível acompanhar a labilidade de seu caráter ou de sua mente. Ou ela mente. Não importa. O que importa é que Marina representa a mudança, a mudança de um Brasil aberto e tolerante para um Brasil refém da intolerância fundamentalista, de um Brasil voltado para sanar a dívida com seu povo humilde para um Brasil escravo de seus bancos, de um Brasil democrático para um Brasil mergulhado em crise institucional.
Por isso eu mudei também. Entrego essa semana meu pedido de desfiliação do PSB e cerro fileiras contra essa terrível mudança que ameaça nosso país. Não é possível submeter o Brasil a essa catástrofe. Marina Silva é uma alma em liquidação. Qualquer um pode exigir que ela mude uma posição por um punhado de votos. Mas aproveitem logo. Essa promoção é por tempo limitado.
 *Gustavo Arja Castañon é doutor em psicologia e professor de filosofia da Universidade Federal de Juiz de Fora. Colabora com o “Quem tem medo da democracia?”, onde mantém a coluna “Non abbiate paura“.
Foto: Viomundo

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Superação: Recém-promovido ao time profissional do Nacional, do Uruguai, jovem Matías Dutour não tem parte do braço direito

 jovem lateral-esquerdo Matías Dutour,
do Nacional, do Uruguai
O jovem lateral-esquerdo Matías Dutour, do Nacional, do Uruguai, tem uma história de superação fantástica. Aos 19 anos, ele treinou nesta semana (terça-feira) com o time profissional do clube devido à ausência de dois titulares.


Essa oportunidade, dada pelo técnico Álvaro Gutiérrez, foi mais do que especial para o garoto, que não tem parte do braço esquerdo. Matías nasceu com uma má formação, nada que o impeça de jogar e de ser considerado uma das promessas do Nacional.
No vídeo abaixo, você pode ver um pouco da história de vida de Matías. Quando ele era pequeno, seus pais viajaram para os Estados Unidos com o intuito de arrumarem uma prótese. Matías usa esta prótese até hoje, mas joga futebol sem ela.
 
- Um dia decidi jogar sem a prótese. Aí pensei. Se estive sem ela durante a partida, porque não posso ficar sem ela nas ruas? Por que não posso mostrar como eu sou - disse Matías durante o vídeo do Teletón.
 
- Se algúem diz que algo na vida é impossível, isso é uma mentira - acrescenta o jovem.
 
Matías já jogou basquete
Matías já jogou basquete Foto: Reprodução Facebook

O jovem lateral-esquerdo Matías Dutour, do Nacional, do Uruguai, tem uma história de superação fantástica. Aos 19 anos, ele treinou nesta semana (terça-feira) com o time profissional do clube devido à ausência de dois titulares.
 
Essa oportunidade, dada pelo técnico Álvaro Gutiérrez, foi mais do que especial para o garoto, que não tem parte do braço esquerdo. Matías nasceu com uma má formação, nada que o impeça de jogar e de ser considerado uma das promessas do Nacional.
 
No vídeo abaixo, você pode ver um pouco da história de vida de Matías. Quando ele era pequeno, seus pais viajaram para os Estados Unidos com o intuito de arrumarem uma prótese. Matías usa esta prótese até hoje, mas joga futebol sem ela.
 
- Um dia decidi jogar sem a prótese. Aí pensei. Se estive sem ela durante a partida, porque não posso ficar sem ela nas ruas? Por que não posso mostrar como eu sou - disse Matías durante o vídeo do Teletón.
 
- Se algúem diz que algo na vida é impossível, isso é uma mentira - acrescenta o jovem.
Matías joga tênis de mesa
Matías joga tênis de mesa Foto: Reprodução Facebook
Com a prótese, Matías consegue cumprir todas as suas atividades. Inclusive, dirige. O menino também já praticou outros esportes como o basquete e o tênis de mesa.

 
 
 

Prefeitura amplia melhorias na infraestrutura da Vila Luizão

Obras estão sendo realizadas através de parceria da
 Prefeitura com o Ministério das Cidades e Caixa
A Prefeitura de São Luís iniciou o calçamento na Rua da Virtude, na Vila Luizão, por meio da implantação de peças pré-moldadas de concreto (bloquetes) e a instalação de meio fio. Paralelamente, a Prefeitura executa serviços de drenagem profunda no trecho da Avenida dos Holandeses que passa pelo bairro.
 
Os serviços estão sendo desenvolvidos pelas equipes da Secretaria de Obras e Serviços Públicos (Semosp) e atendem a determinação do prefeito Edivaldo para melhoria da qualidade de vida da população. As obras estão sendo realizadas através de parceria da Prefeitura com o Ministério das Cidades e Caixa Econômica Federal e vão beneficiar outras localidades como Vila Brasil, Conjunto Santa Rosa (Turu), Forquilha, Ipase, Coroadinho, Anjo da Guarda, Sacavém, Pirapora, Parque Vitória e João de Deus.
 
“Sensível às condições de vida da população, principalmente, em áreas com infraestrutura precária, o prefeito Edivaldo determinou que fossem providenciadas soluções definitivas para os problemas enfrentados nesses locais. Com essa obra na Vila Luizão, a Prefeitura soluciona os alagamentos recorrentes na região e amplia a vida útil da pavimentação que está sendo feita no bairro”, informou o titular da Semosp, Antônio Araújo.
 
O secretário explicou que o calçamento com bloquetes da Rua da Virtude contemplará os 42 metros de extensão da via. O trabalho também será realizado na Travessa da Brisa, Rua da Vitória, Rua 25 e Bairro de Neve. Além disso, as equipes da Semosp estão trabalhando na requalificação asfáltica e recuperação do calçamento das três principais avenidas do bairro e mais oito ruas e travessas. O processo de requalificação inclui a Avenida Sol Nascente, Avenida Brisa do Mar, Rua Airton Sena, Rua São Paulo, Rua da Glória e um trecho da Avenida dos Holandeses.
 
O empresário, Jefferson Alves, de 39 anos, ficou satisfeito com o trabalho que está sendo desenvolvido no bairro onde mora. “Com esta obra, a Prefeitura demonstra a sua preocupação em atender as solicitações da população. De uma só vez, está resolvendo vários problemas que nós que moramos nessa região enfrentamos, devido à precariedade da infraestrutura existente. Só temos a agradecer”, disse o empresário.
 
DRENAGEM
 
Paralelo aos serviços de melhoria das ruas, a Semosp prossegue com as obras de drenagem profunda numa extensão de 180 metros da lateral da Avenida dos Holandeses que margeia a região da Vila Luizão. Os trabalhos compreendem a escavação e construção de bases para ao assentamento de tubos com diâmetro de 180 milímetros, suficientes para conter o fluxo das águas pluviais.
 

Pesquisas: Dilma cresce, Marina começa a frear e Aecio despenca.

 
O Ibope divulgou nesta quarta-feira (3) nova pesquisa sobre a disputa à Presidência da República. Em comparação com o levantamento anterior, do próprio Ibope, divulgada no dia 26, a presidenta Dilma Rousseff cresceu três pontos percentuais, passando de 34% para 37% das intenções de voto.
 
Em segundo lugar na disputa vem Marina Silva que cresceu também, e agora está com 33%, ante os 29%. O candidato do PSDB, Aécio Neves, registrou 15% das intenções de voto, uma queda de quatro pontos em comparação à mostra anterior.
 
No segundo turno, a pesquisa apontou que Dilma ficaria em segundo lugar, enquanto Marina venceria com sete pontos de vantagem, por 46% a 39%. Diante da pesquisa anterior, a diferença entre as duas candidatas caiu: 45% contra 36% de Dilma. Entre a presidenta e Aécio, a vitória seria da Dilma, por 47% a 34%. Na pesquisa anterior, Marina também seria eleita, mas com nove pontos de vantagem.
 
Atuação do governo
 
A opinião sobre o desempenho do governo federal aumentou. Entre as pessoas que consideram o governo Dilma ótimo ou bom aumentou, passando de 34% para 36% em uma semana. Houve queda de um ponto percentual, de 27% para 26%, em relação aos que consideram a gestão ruim ou péssima. A avaliação regular subiu de 36% para 37%.
 
A rejeição à presidenta caiu cinco pontos: de 36%, na semana passada, para 31%. Enquanto isso, o de Marina subiu dois pontos, de 10% para 12%. A rejeição ao candidato do PSDB, Aécio Neves, permaneceu em 18%.
 
A pesquisa, encomendada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela Rede Globo, foi realizada entre domingo (31/8) e terça-feira (2/9).

Logo após o Ibope, o instituto Datafolha também divulgou na nesta quarta-feira (3) o seu mais recente levantamento para a corrida presidencial . Comparando a pesquisa anterior do instituto, Dilma Rousseff cresceu de 34% para 35%. Marina se manteve com os mesmos 34% e Aécio Neves caiu um ponto e está com 14%.
 
De acordo com o instituto de pesquisa do Grupo Folha, foram entrevistados 10.050 eleitores em todo o Brasil entre segunda-feira (1º/9) e esta quarta-feira (3).

No segundo turno, no cenário em que Dilma Rousseff e Marina Silva se enfrentam, o placar é de 48% a 41% para Marina. A vantagem de Marina caiu três pontos percentuais diante da pesquisa apresentada no Datafolha anterior, que mostrava marina com 50% e Dilma 40%.

Fonte: Portal Vermelho


quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Maioria dos vereadores de São Luís apoiam Flávio Dino

 
Quinze vereadores e  o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, estiveram reunidos com os candidatos da Coligação Todos pelo Maranhão, Flávio Dino, Carlos Brandão e Roberto Rocha na noite desta segunda-feira (01/09) para reafirmar apoio às candidaturas da oposição. Os vereadores esclareceram que abraçam a candidatura de Flávio Dino porque acreditam que com ele os municípios do Maranhão serão tratados com isonomia.
 
"Um dos pleitos nosso é que os municípios do Estado, inclusive São Luís, sejam tratados com igualdade. Quanto mais parcerias e convênios receberem as prefeituras, mais benefícios terão os cidadãos. Acreditamos que isso vai acontecer com Flávio Dino, Brandão e Roberto Rocha", disse o vereador José Joaquim.
 
Os vereadores disseram que o apoio a Flávio Dino vem ainda do abandono a que o governo do Estado tem submetido a capital maranhense. Segundo eles, a capital não tem sido contemplada com convênios. "O governo tem celebrado convênios e feito parcerias institucionais com vários municípios, esquecendo São Luís. Eu tenho certeza que, com Flávio Dino, governo e prefeitura irão trabalhar juntos em prol do cidadão", disse o vereador Osmar Filho.
 
De casa em casa
 
Os vereadores demonstraram animação e confiança nas propostas de Flávio Dino e prometeram levar as mensagens do candidato a governador de casa em casa na cidade de São Luís. "Na comunidade, na escola, na igreja, nas feiras, nas ruas, onde estivermos, vamos levar essa mensagem, de casa em casa vamos falar de um só propósito: o da mudança", confirmou o vereador Alencar Gomes.
 
Agradecendo a mobilização dos vereadores em prol do projeto de mudança, Flávio Dino reafirmou seus compromissos com São Luís e com os municípios do Maranhão. "Estou aqui para reafirmar meus compromissos de ajudar a cidade de São Luís e agradeço a disposição dos vereadores de levar essa mensagem aos segmentos que representam", disse Flávio Dino.
 
O vereador Batista Matos também falou do seu empenho para eleger Flávio Dino e Roberto Rocha. "Estaremos juntos somando nesse propósito de eleger Flávio Dino governador e Roberto senador para que São Luís e todos os municípios do Maranhão tenham um governador aliado e parceiro para que numa grande força política possamos conduzir São Luís para um momento de progresso", afirmou.
 
Sobre isso, o vereador Marlon Garcia explicou que a população de São Luís só tem a ganhar com esta parceria. "Essa parceria de dezesseis vereadores pra levar Flávio Dino ao governo do Estado será de grande valia para São Luís", confirmou.
 
Contato direto com a população
 
Presente na reunião, o prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior, ressaltou a importância do encontro por também representar uma proximidade ainda maior de Flávio Dino e Roberto Rocha com a população da capital. "Tivemos a oportunidade de reunir os vereadores e reforçar o apoio às candidaturas. São eles que estão na base, têm uma força muito grande na cidade, em contato direto com a população", disse.
 
Edivaldo reafirmou ainda a confiança que possui em Flávio Dino para realizar um governo que trate com igualdade os municípios. "Não tenho dúvida alguma que ele irá governar com a prefeitura, irá trabalhar por São Luís, faremos grandes parcerias para a nossa cidade", continuou.
 
Participaram do ato de apoio os vereadores José Joaquim (PSDB), Pavão Filho (PDT), Osmar Filho (PSB), Chaguinhas (PSB), Roberto Júnior (PSB), Fátima Araújo (PRP), Alencar Gomes (PDT), Ivaldo Rodrigues (PDT), Barbosa Lages (PDT), Gutemberg (PSDB), Estevão Aragão (SD), Marlon Garcia (PTdoB), Beto Castro (PROS), Batista Matos (PPS) e Anderson Martins (PRB). Os vereadores Sérgio Frota(PSDB) e Eidimar justificaram ausência, mas reafirmaram o apoio. A esse grupo se soma ainda os vereadores do PCdoB, Professor Lisboa e Rose Sales.
 
Fonte: Assessoria de Comunicação do PCdoB/SL